Anúncios
RSS

Tocando as vestes de Jesus

10 jul

tocando Jesus

E disse Jesus: Alguém me tocou, porque bem conheci que de mim saiu virtude.” (Lucas 8:46)

Hoje, é muito comum os fãs de um determinado artista, atleta ou qualquer indivíduo famoso querer abraçá-lo e triar uma selfie com ele. Outros se contentam apenas em tocá-lo. Já aqueles que são mais atiradinhos querem beijá-lo e ganhar um autógrafo. E, quando são atendidos, saem felicíssimos ostentando o grande feito.

Logicamente, não há nada de mal nisso, desde que sejam respeitados os limites do bom senso. Porém, por mais importante que seja tal pessoa, muito provavelmente ela não poderá ou não irá fazer muita coisa além disso pelo fã. O que também é normal.

Refletindo sobre isso, veio-me à mente uma das mais belas histórias bíblicas, a qual fala sobre uma mulher que tocou as vestes de Jesus (Marcos 5:25 ao 34; Lucas 8:43 ao 48).

O contexto em que essa narrativa acontece é o seguinte: A filha de Jairo, um dos principais da sinagoga, estava muito doente e ele veio pedir que Jesus fosse até a casa dele socorrer a garota, sendo prontamente atendido pelo Senhor (Marcos 5:22 ao 24).

Enquanto se dirigia à casa de Jairo, uma multidão o seguia. Então, uma mulher que padecia há doze anos com uma hemorragia e que já gastara todas as suas posses e, mesmo assim, ia de mal a pior, ouvindo falar de Jesus, veio por trás do Senhor e tocou-lhe as vestes.

A mulher fez isso porque pensava desta maneira: “Se tão-somente tocar nas suas vestes, sararei” – Marcos 5:28. E foi justamente o que ocorreu. Veja: “E logo se lhe secou a fonte do seu sangue; e sentiu no seu corpo estar já curada daquele mal” – Marcos 5:29.

Nesse momento, Jesus voltou-se para a multidão e perguntou: Quem tocou nas minhas vestes? – Marcos 5:30b. Ora, esse era um questionamento aparentemente tolo. Se ele estava cercado por tanta gente, era normal que isso acontecesse.

Os discípulos também pensavam dessa forma. Por isso, disseram-lhe: “Vês que a multidão te aperta, e dizes: Quem me tocou?” – Marcos 5:31.

Pela maneira como falaram, entende-se que eles consideraram a fala de Cristo absurda ou, no mínimo, descabida. Caso estivéssemos lá naquele momento, creio que também pensaríamos assim.

No entanto, mal sabiam eles que aquele episódio nos deixaria como legado grandes e preciosos ensinamentos. Vamos meditar sobre alguns deles?

Primeiro: Multidões sempre acompanharam o Mestre. Muitos o faziam por acreditarem que de fato ele era o Messias (o YESHUA HAMASHIA, Jesus Cristo, o ungido de Deus). Outros, por considerá-lo um popstar ou superstar. Outra parte o seguia para ver o show de milagres e havia quem o seguisse por causa da comida. Hoje, não é muito diferente disso. Todavia, quem o segue com a motivação errada jamais vai conhecê-lo de fato.

Segundo: Aquela mulher tocou o Senhor de uma forma diferente. Mas qual era a diferença entre o toque dela e o das demais pessoas? Ela estava cheia de fé e reconhecia que Jesus realmente era o Messias, o ungido de Deus. Por essa razão, o Senhor sentiu que dele saíra a virtude curadora ou o poder que cura.

Terceiro: Aquela mulher decidiu correr riscos para alcançar o seu objetivo. Naquela época, uma pessoa que estivesse com hemorragia não podia estar em contato com outras, pois, durante esse período, era considerada imunda.

Caso tocasse em alguém, a pessoa também seria considerada assim. Logo, caso a descobrissem ali, poderia ser apedrejada. Apesar disso, ela o fez. Conosco não é diferente. Se quisermos alcançar nosso milagre, precisamos reconhecer que o Senhor é o Filho de Deus e estar dispostos a correr riscos, tais como: receber críticas, ser discriminados ou, no mínimo, não ser compreendidos. Até por familiares.

Quarto: Ela foi corajosa. Em Marcos 5:29, está escrito: “E logo se lhe secou a fonte do seu sangue; e sentiu no seu corpo estar já curada daquele mal”.

     Ora, se já estava curada, talvez a melhor atitude seria sair de fininho para não correr riscos. No entanto, não o fez. Mesmo temendo e tremendo, decidiu assumir publicamente que tinha sido ela quem tocara o Mestre – Marcos 5:33. Hoje, porém, muitas pessoas recebem a bênção e preferem manter-se em silêncio com medo ou vergonha de assumir que creem em Jesus e que buscaram a ajuda dele. Que pena!

Quinto: O versículo 33 ainda diz que ela se prostrou diante dele e disse-lhe toda a verdade. Um judeu não se prostra aos pés de ninguém, a não ser de Deus (Êxodo 20:3 ao 5). Portanto, ao fazer isso diante das pessoas, essa mulher estava declarando abertamente que cria que Jesus era Deus.

Como consequência de sua atitude, podia ser discriminada pelos fariseus e pelos doutores da lei, os quais se achavam donos da verdade e não reconheciam que o Senhor era o Cristo tão aguardado pelo povo de Israel.

Contudo, ela preferiu correr o risco de ser rejeitada pelos incrédulos a negar sua fé. Hoje também precisamos fazer essa escolha, pois é mais importante obedecer a Deus do que aos homens, conforme Pedro diz em Atos 5: 29; 4:19.

Sexto: Diante da atitude corajosa dessa mulher, o Senhor declarou: “Filha, a tua fé te salvou; vai em paz, e sê curada deste teu mal – Marcos 5:34.

Aqui, vemos quatro coisas muito significativas:

  • Ela foi em busca de cura física e recebeu do Senhor a salvação, a qual é a maior dádiva e promessa que Jesus nos fez: “E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna” – I João 2:25. Foi por nossa salvação que ele morreu na cruz em nosso lugar. Desse modo, entendemos que o Mestre tem muito mais para nos oferecer do que apenas algo físico, terreno e temporário.
  • O Senhor lhe deu paz. Certamente durante todos aqueles anos o coração dela estava profundamente angustiado. Você já imaginou padecer de um mal há doze anos, gastar tudo o que possui e ir de mal a pior? Já imaginou ser discriminado por causa de uma doença? Então era natural que estivesse sem paz de espírito. Mas, naquele dia, ela teve um encontro com o Príncipe da paz (Isaías 9:6).
  • Foi curada daquela doença física. Algo que a medicina da época não conseguiu fazer, o Mestre fez, porque ele é o Médico dos médicos. Todo poder está em suas mãos (Mateus 28:18). Sendo assim, a última palavra quem dá é o Senhor. Por mais competentes que sejam os médicos, por mais desenvolvida que esteja a Ciência, somente o Doador da vida pode manter alguém vivo e são.
  • Jesus inverteu a ordem das coisas. Ela foi buscar uma cura física e o Mestre mostrou-lhe que existe uma ordem de importância que deve ser respeitada. Por isso, primeiro ele curou-lhe o espírito; depois; a mente e as emoções, trazendo-lhe a paz da qual tanto necessitava; e, por fim, curou o corpo dela.

Fazendo isso, o Senhor nos mostra que ter saúde física e dinheiro é bom, mas não é tudo; que ter saúde psíquica é maravilhoso, entretanto também não é o suficiente; que, antes de tudo, é preciso receber dele a salvação, pois foi para isso que ele veio ao mundo: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” – João 3:16.

É por esse motivo que quando olhamos para João 1: 11 ao 13, lemos o seguinte: “[Jesus] Veio para o que era seu [os judeus], mas os seus não o receberam. Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus, os quais não nasceram por descendência natural, nem pela vontade da carne nem pela vontade de algum homem, mas nasceram de Deus”.

Vemos no agir do Senhor e em João 1: 11 ao 13 que a importância e a alegria de receber uma cura física jamais podem se comparar com a bênção de sermos aceitos por Deus como seus filhos. Veja o que diz Efésios 2:19 2 22: “Portanto, vocês já não são estrangeiros nem forasteiros, mas concidadãos dos santos e membros da família de Deus” e “Nele [Jesus] vocês também estão sendo juntamente edificados, para se tornarem morada de Deus por seu Espírito”.

Essa história é muito rica e não dá para explorar ou extrair tudo de bom que ela pode nos ensinar, pois sou incapaz de esgotar tudo o que ela tem a nos oferecer. Entretanto, quero que você tente se colocar no lugar dessa mulher para compreendê-la melhor.

Ao fazer isso, certamente vai entender que ela estava muito debilitada física, mental e emocionalmente. Não há dúvida de que doze anos vivendo nessa situação e condição minaram suas forças. A frustração e a decepção cada vez que tentara buscar ajuda na medicina, e não a encontrara, creio eu que inundaram sua mente com o desânimo. Quem sabe, ela já pensara em desistir de lutar. Não tinha mais esperança. O que também é compreensível.

No entanto, quando tudo parecia perdido, brilhou uma luz no meio das densas trevas nas quais se encontrava. Ela ouviu falar de Jesus, e isso lhe fez nascer uma nova e viva esperança. Por esse motivo, tomou a decisão de ir até ele. E assim o fez. O restante da história você já sabe.

Com você também pode acontecer algo semelhante. Quem sabe já vem padecendo de algum mal há muito tempo. Pode ser uma doença física, psíquica, um problema familiar, conjugal, financeiro ou quaisquer outros.

Talvez também tenha gasto muitos recursos financeiros, tempo e energia e, mesmo assim, não tem obtido o resultado necessário e esperado. Como consequência, pensou em jogar a toalha, ou já a jogou, pois não vê uma luz no fim do túnel. Mas quero lhe dizer que ainda não é hora de desistir.

Quando ouviu falar de Jesus, essa mulher tinha o direito de não querer procurá-lo. Ela já havia se decepcionado muito com suas buscas pela cura. Todavia, resolveu ir até ele e sua vida não foi mais a mesma. Com você, pode acontecer a mesma coisa.

Se aceitar o desafio de passar por cima de suas decepções, dúvidas ou preconceitos, sua vida e história também podem ser completamente mudadas, e para muito melhor. Afinal, quem toca as vestes de Jesus movido pela motivação correta sentirá a virtude do Senhor inundando sua alma com paz, alegria e sentirá brotar em seu interior uma nova e viva esperança.

Portanto, bata um bom papo consigo mesmo e tome a firme decisão de tocar em Jesus. Não se preocupe ou se intimide com o que os outros vão dizer. Os outros, MUITOS OUTROS, sempre vão existir e sempre vão criticá-lo ou tentar desanimá-lo. E são justamente os que mais fazem isso que menos o ajudam a vencer as batalhas da vida. Sendo assim, corra a carreira que lhe está proposta, olhando para Jesus, que é o autor e o consumador da fé. Deixe de lado tudo o que pode atrapalhá-lo, como diz Hebreus 12:1- 2.

P.S.: A filha de Jairo morreu e seus empregados vieram avisá-lo enquanto ele e Jesus ainda estavam a caminho da casa dele. Porém, agora ele estava acompanhado pelo Senhor da vida, que foi até lá e ressuscitou a garota.

Se eu apenas te tocarMariana Valadão

Anúncios
 

Tags: , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: