Anúncios
RSS

FRUTOS DA OBEDIÊNCIA

16 maio

"nas mãos de Deus" "nos braços do Pai"

     “O temor do Senhor é a instrução da
sabedoria, e diante da honra vai a humildade.”
(Provérbios 15:33)

Se eu perguntasse a você por que as
penitenciárias estão superlotadas de pessoas que não deveriam estar lá, o que
me responderia?

Se lhe interrogasse o motivo pelo qual o
cemitério está repleto de indivíduos que não deveriam estar lá, qual seria sua
resposta?

Se lhe indagasse a razão pela qual tantas
pessoas perambulam pelo mundo, sem expectativa, sem nenhuma razão para viver, o
que me diria?

Creio que você me apontaria várias
possibilidades como, por exemplo, a falta de oportunidade, o abandono dos pais
ou da família e outros problemas pessoais.

Realmente, tais reveses da vida podem
levar uma pessoa à ruína, ao caos existencial. Entretanto, há um motivo pelo
qual muitas dessas desgraças ocorrem  que
passa despercebido à maioria das pessoas, inclusive daqueles que conhecem a
Palavra de Deus. Qual? A recusa de ouvir e acatar instruções.

“Instruções de quem?” – Talvez você me
pergunte.

Instruções
dos pais
. Muitos poderiam estar desfrutando de uma convivência harmoniosa e
enriquecedora com seus pais hoje, mas tomaram a decisão de não darem ouvido à
orientação deles. Como conseqüência, estão mortos, presos ou vivendo uma vida
muito abaixo do padrão de qualidade que poderiam viver (João 10:10) ou, ainda,
constantemente se envolvem em problemas que geram resultados devastadores tanto
na área física quanto na emocional, psicológica e, sobretudo, na espiritual.

Instruções
de verdadeiros amigos ou conselheiros.
Todos nós precisamos ter mentores ou
pelo menos um mentor. Mas… o que é um mentor? Segundo o dicionário, é a pessoa que aconselha ou ensina
outra; é um guia intelectual.

Lamentavelmente, grande parte das pessoas
de todas as faixas etárias, mas especialmente os mais jovens ou se recusam a
ouvir um mentor (pai, mãe, professor, o líder espiritual ou alguém experiente e
responsável) ou optam por dar crédito a pessoas que não têm o mínimo comprometimento
com a verdade, com a justiça e com Deus. Assim, o fim delas, conforme já
sabemos, é a desgraça, isto é, o sucesso funesto, a desventura, o infortúnio, o
contratempo, a má sorte, a miséria, a angústia.

Por saber de tudo o que a falta de um
mentor responsável pode gerar a um indivíduo, Deus já deixou na Bíblia inúmeros
textos que nos admoestam sobre essa necessidade. Veja alguns deles a seguir.

“Não
havendo sábia direção, o povo cai; mas na multidão de conselheiros há segurança.” (Pv 11:14)

“Onde não há conselho os projetos saem vãos, mas com a multidão de conselheiros se confirmarão.” (Pv
15:22)

“Como águas profundas é o conselho no coração do homem: mas o
homem de inteligência o tirará para fora.” (Pv 20:5)

“Porque com conselhos prudentes tu farás a guerra; e há vitória na multidão dos
conselheiros.” (Pv 24:6)

Instruções
do Senhor.
Deus fala conosco de diversas maneiras. Ele usa pessoas, as
circunstâncias, homens e mulheres que têm uma íntima comunhão com Ele, a nossa
própria consciência (Romanos 2: 14,15), a Bíblia. Além desses meios, temos
também o Espírito Santo que nos ensina, consola, aconselha, faz-nos lembrar do
que Jesus ensinou, guia em toda a verdade, convence-nos do que é certo e do que
é errado (João 14:18, 26; 16:7 ao 14).

Entre todos esses meios que Deus usou para
falar conosco ou pessoas, está também ou principalmente Jesus. Ele foi chamado
de “Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da
Paz” (Isaías 9:6). Então, podemos entender claramente que tudo aquilo que Jesus
ensinou durante o seu ministério aqui na terra tinha o objetivo de nos
aconselhar a agir da maneira certa. Por isso, um dos nomes pelos quais ele
seria conhecido era Conselheiro.

Assim, percebemos que uma grande
demonstração de sabedoria de nossa parte consiste no fato de ouvirmos os
conselhos desse sapientíssimo mentor – Jesus – e  colocarmos em prática seus preciosíssimos
conselhos. Em outras palavras: obedecê-lo e praticar seus ensinamentos (Mateus
7:24 ao 27), pois isso trará
conseqüências semelhantes ou mesmo iguais as mencionadas a seguir.

  • Noé: Sua decisão de
    obedecer a Deus salvou a si próprio e a sua família. Além disso, a partir dele
    o Senhor repovoou a terra depois do dilúvio (Gênesis 9:1,7).
  • Abrãao: A obediência dele
    fê-lo tornar-se o escolhido para dar início ao povo de Israel além de passar a
    ser respeitado pelas pessoas, próspero e protegido por Deus (Gênesis 12:1 ao
    3).
  • Moisés: Foi transformado no
    grande libertador do povo de Israel, que estava sendo oprimido no Egito e é
    considerado uma figura de Cristo, ou seja, alguém que permitiu saber qual seria
    o ministério de Cristo: libertar o povo da escravidão imposta pelo maligno,
    naquele contexto representado por faraó (Êxodo 3:10 ao 12).
  • Jesus: Mesmo tendo o direito
    de dizer não, decidiu renunciar sua vontade própria (Mateus 26:39) e obedecer
    ao Pai e consumar a obra para a qual viera ao mundo (João 19:30). Como
    resultado de sua obediência, Deus lhe deu um nome que está acima de todo nome e
    diante do qual todo joelho se dobrará e confessará que Ele é o Senhor
    (Filipenses 2: 5 ao 11).

Agora,
quero compartilhar com você a experiência de algumas pessoas que foram
beneficiadas por um milagre realizado por Cristo, que sempre dava pequenas  instruções antes de fazer aquilo que os homens
não podiam, mas precisavam e queriam.

  • Um cego de nascença:
    Recebeu a ordem e a cumpriu: “Vai, lava-te no tanque de Siloé
    (João 9:7). Resultado: Foi curado de uma vida inteira de cegueira.
  • Pedro: Pescara a noite inteira e não pegara nada. Porém, quando
    Jesus disse para ele voltar ao mar e lançar as redes, ele seguiu a instrução.
    Consequência: Pescou uma grande quantidade de peixes (Lucas 5: 1 ao 7).
  • Os serventes nas bodas de Caná: Quando o vinho acabou
    e a festa de casamento poderia se tornar uma grande vergonha para a família dos
    noivos, Jesus ordenou que enchessem as vasilhas. Obedeceram e o resultado não
    poderia ser melhor: o Mestre transformou a água em vinho, contudo não um vinho
    qualquer. Ele fez o melhor a ponto de surpreender o mestre-sala, que era o
    responsável pela supervisão do que se servia aos convidados (João 2: 1 ao 11).
  • Um homem paralítico: Jesus lhe disse: “Levanta-te, toma o teu leito e
    vai para tua casa
    ” (Marcos 2:11). Qual foi o resultado? Foi curado e Deus
    foi glorificado pelo povo.
  • Os discípulos que levaram os cinco pães  e os dois peixes a Jesus: Ao seguirem a
    instrução, viram o milagre da multiplicação ocorrer diante de seus olhos e
    milhares de pessoas serem alimentadas no deserto (Mateus 4:18).
  • Os amigos e familiares de Lázaro: Seguindo a instrução
    do Mestre para tirar a pedra do sepulcro, contemplaram o milagre da
    ressurreição daquele homem que estava morto há quatro dias, algo inconcebível à
    razão humana (João 11:1 ao 45).

Além dos
exemplos acima, existem inúmeros nas Escrituras Sagradas. No entanto, creio que
esses são mais do que suficientes para entendermos que o segredo para
recebermos o milagre em nossa vida está em obedecer às instruções dadas por
Deus. Por isso, o Senhor nos diz através do profeta Isaías: “Se
quiserdes e obedecerdes, comereis o bem desta terra
” (Isaías 1:19).

Gostaria
de ressaltar então que Deus não se impressiona com belas palavras que dissermos
a ele em nossas orações, nem com o nosso alto nível intelectual, nem com os
diplomas que possuímos, nem com nossa cultura geral, nem com nossa fama,
sucesso ou recursos financeiros. Tudo isso é ou pode ser muito importante e
bom. Entretanto, como diz a Bíblia em I Samuel 15:22 e 23: “Porém
Samuel disse: Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios
como em que se obedeça à sua palavra? A obediência é melhor do
que o sacrifício, e a submissão é melhor do que a gordura de carneiros, pois a
rebeldia é como o pecado de feitiçaria, e a arrogância como o mal da idolatria”.

Outra
observação que considero fundamental é que nossos amigos sempre afetarão nosso
futuro – para o bem ou para o mal. Portanto, é imprescindível saber claramente
quem serão nossos mentores, ou seja, de quem receberemos instruções. Caso
contrário, corremos sérios riscos. Por exemplo: Quem recebe instruções de um
traficante o que fará além de usar drogas, traficar, roubar e até matar por
causa disso?

Sendo
assim, sejamos sábios e humildes ao escolhermos quem nos influenciará. Que essa
sabedoria nos leve a elegermos como nossos mestres: pais, verdadeiros amigos,
líderes espirituais, professores e todos aqueles que são comprometidos com a
ética,  o profissionalismo, a justiça, o
respeito e o amor ao próximo e principalmente o Senhor, que sabe o que é melhor
para cada um de nós. Lembrando sempre que a humildade sempre precede a honra.
Então sejamos humildes a ponto de reconhecermos que precisamos de instruções de
pessoas certas para que transformemos nossos sonhos em realidade.

Anúncios
 

Tags: , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: