Anúncios
RSS

Arquivo da tag: O melhor da terra

Espelho invertido

espelho de mesa

Existem pessoas que não gostam de se olhar no espelho. No entanto, a maioria gosta. Especialmente quando vão sair de casa, dar uma olhadinha rápida é algo mais do que normal e necessário.

Outros há que gastam muito tempo diante dele, pois não querem que nada fique fora do lugar. Afinal, quem não quer se apresentar bem diante das demais pessoas? Quem não gosta de receber comentários elogiosos, seja do cônjuge, parentes ou amigos? Penso que todos amam, uma vez que isso faz bem para a alma. Um enorme bem!

Antes de continuar, preciso fazer-lhe uma pergunta: Se você der “aquela” olhada no espelho e verificar que há alguma coisa que não está normal ou adequada, a mudança deve ser feita em você ou no espelho?

Essa indagação parece totalmente absurda e descabida, não é? A resposta, é obvio, deve ser: “Em mim, claro!”. Entretanto, quando se trata da vida espiritual, muitos parecem querer mudar o “espelho”, não a si mesmos, o que, certamente, é uma atitude tresloucada e perigosa.

Para o cristão, a Palavra de Deus, registrada nas Sagradas Escrituras, é o espelho diante do qual devemos nos colocar para observar diligentemente se nossa vida está em ordem ou se existem ajustes a serem feitos ou coisas que devem ser eliminadas.

Enfim, é preciso reajustar o “gps”, para não pegarmos um caminho totalmente contrário ao destino final. Quem já se perdeu, sabe muito bem como isso é chato. E mais: quantas pessoas deram de cara com a morte por terem se perdido. Já vimos muitos casos assim noticiados pela mídia, não é?

Quando olhamos para Tiago 1:22 ao 24, lemos o seguinte: “Sejam cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-se com falsos discursos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra, mas não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla no espelho o seu rosto natural; porque contempla a si mesmo, vai-se, e logo se esquece de como era”.

Hoje, infelizmente, tornou-se muito comum lermos as Escrituras Sagradas e ignorarmos completamente ensinos do Senhor. Agimos como se não lembrássemos ou não soubéssemos que eles são “Lâmpada para os nossos pés é a tua palavra, e luz para os nossos caminhos”, conforme está escrito no Salmo 119:105.

Se você já esteve ou viveu num lugar sem energia elétrica, sabe que o escuro é tremendo e, para muitos, assustador. Caso precise sair de casa, deve ter uma lanterna para alumiar o caminho por onde vai passar. Do contrário, pode se perder, tropeçar numa pedra e se ferir; cair num buraco ou até mesmo pisar numa cobra venenosa e ter sérias complicações, porque ela não vai gostar de ser pisada.

Mesmo nós que vivemos nos centros urbanos entendemos um pouco desse assunto, pois, às vezes, ficamos sem energia elétrica por um tempinho e já percebemos como isso causa transtornos. Por essa razão, quem passou por esse tipo de experiência, sabe muito bem o quanto a luz é importante e indispensável.

Em se tratando do nosso relacionamento com Deus, ocorre a mesma coisa. A sua palavra é a luz que nos impede de ficar sem a capacidade de enxergar os erros ou pecados (Só para esclarecer: pecar quer dizer “errar o alvo”, do hebraico “hatah”; no grego é “hamartia”: “sair da rota”).

Desse modo, quando ficamos frente a frente com ela, passamos a ver nossos defeitos e limitações, e devemos corrigir nossa direção, pegando o caminho de volta, a fim de nos tornarmos, cada vez mais, a imagem e semelhança do nosso Criador – Gênesis 1:26. Afinal, todo cristão deseja chegar ao seu último destino, que é estar ao lado do seu Criador e Senhor.

Vale refletir ainda sobre o que o apóstolo Paulo, ensinando a Timóteo, seu filho na fé, disse: “Quanto a você, porém, permaneça nas coisas que aprendeu e das quais tem convicção, pois você sabe de quem o aprendeu. Porque desde criança você conhece as sagradas letras, que são capazes de torná-lo sábio para a salvação mediante a fé em Cristo Jesus. Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra” – II Timóteo 3:14-17.

Como diz o trecho em negrito, toda a Escritura é inspirada e útil. Não apenas aquilo que nos é conveniente ou que massageia o nosso ego. Alguns, por exemplo, gostam apenas da parte das promessas. No entanto, fogem daquelas que lhes dão um puxão de orelhas.

Tais pessoas precisam estar atentas ao que dizem as Escrituras em Hebreus 12: 5 ao 11: “Vocês se esqueceram da palavra de ânimo que ele lhes dirige como a filhos: “Meu filho, não despreze a disciplina do Senhor, nem se magoe com a sua repreensão, pois o Senhor disciplina a quem ama, e castiga todo aquele a quem aceita como filho”. Suportem as dificuldades, recebendo-as como disciplina; Deus os trata como filhos. Pois, qual o filho que não é disciplinado por seu pai?  Se vocês não são disciplinados, e a disciplina é para todos os filhos, então vocês não são filhos legítimos, mas sim ilegítimos. Além disso, tínhamos pais humanos que nos disciplinavam, e nós os respeitávamos. Quanto mais devemos submeter-nos ao Pai dos espíritos, para assim vivermos! Nossos pais nos disciplinavam por curto período, segundo lhes parecia melhor; mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para que participemos da sua santidade. Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados”. Read the rest of this entry »

Anúncios
 

Tags: , , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: