Anúncios
RSS

VALE A PENA SERVIR A DEUS?

20 maio

Periodicamente costumamos fazer uma avaliação da nossa vida. Em especial, quando chegamos ao final de mais um ano é comum pesarmos os prós e os contras, as conquistas e as derrotas, as alegrias e as tristezas vividas.
Muitas vezes, durante esse processo avaliatório fazemos comparações com outros anos, com outras pessoas e com as conquistas delas e não raramente consideramos que estamos numa posição bem inferior aos outros e muito aquém daquilo que poderíamos ou deveríamos ser, ter, viver ou fazer. Por isso, ficamos meio frustrados, decepcionados ou mesmo deprimidos diante desse quadro.
Com Asafe, um dos principais músicos de Davi, não foi diferente. Não que a Bíblia registre que ele estivesse se avaliando no final de um ano, mas nos mostra que estava fazendo uma avaliação e que estava tomando a vida de pessoas que não temiam a Deus como parâmetro (Salmo 73).
Por considerar esse episódio extremamente importante justamente por se parecer com situações pelas quais também passamos, gostaria de compartilhar com você algumas das grandes lições que podemos aprender com ele, a fim de que não nos desviemos dos caminhos do Senhor, como quase ocorreu com esse servo de Deus.
Para facilitar nossa compreensão, começarei do versículo 2, no qual Asafe nos diz que os pés dele quase se desviaram e pouco faltou para que escorregassem. Todos nós sabemos que quando alguém escorrega perde o equilíbrio e pode se esborrachar no chão, quebrar ossos, sofrer escoriações pelo corpo e até morrer em consequência dos traumas.
Espiritualmente falando, não é diferente. Um “tombo” pode levar um indivíduo à morte espiritual, ou seja, a um afastamento definitivo de Deus, o que é realmente terrível, pois, sempre que nos afastamos do Pai, as tragédias começam a acontecer conosco.
Mas por que ele quase se desviou?
No versículo 2, ele começa a nos explicar os motivos pelos quais isso quase aconteceu: tinha inveja dos soberbos e da prosperidade deles. Mesmo sendo um homem de Deus, Asafe, perdera o foco, que era o Senhor, e isso o fez sentir inveja (sentimento de desgosto que se sente ao ver o sucesso de outrem ou o desejo de possuir aquilo que é de outra pessoa).
Exatamente por ter perdido o foco, sua visão espiritual ficou comprometida, passando a ver somente pontos positivos na vida dos ímpios e chegou a supor que não valia a pena ser fiel a Deus.
Em outras palavras: esse homem estava insatisfeito com Deus e com aquilo que era, tinha ou fazia. Por essa razão, passou a pensar que havia sido em vão ter purificado o seu coração e lavado as mãos na inocência, isto é, não tinha ganhado nada por ser correto ou íntegro; não havia recebido nenhum benefício ou recompensa de Deus por sua fidelidade. Pelo menos era assim que supunha (v 13,14).
Asafe ainda nos diz que quando pensou em compreender tais coisas ficou sobremodo perturbado (v 16). Então passou a ter sintomas psicossomáticos – aqueles que se manifestam fisicamente como resultado dos nossos pensamentos ou sentimentos. Observe que ele declara “Assim o meu coração se azedou e sinto picadas nos meus rins” (v 21). Veja que seu estado emocional e psicológico estava tão afetado que sentia picadas nos rins.
Além disso, ainda registra que se tornou embrutecido como um animal, ou seja, não tinha mais a capacidade de agir com a razão, com a inteligência; não conseguia mais discernir as coisas, isto é, estabelecer a diferença entre uma e outra (v 22). Certamente isso ocorreu porque, segundo sua avaliação, o Senhor não estava sendo justo com ele. Ora, conforme esse ponto de vista era mais vantajoso ser ímpio do que fiel.
Se olharmos ao nosso redor, veremos que também acontece o mesmo com muitíssimas pessoas. Por esse motivo, hoje há tantas pessoas decepcionadas com Deus e, em consequência dessa decepção, distanciam-se dele e da igreja, e tornam-se espiritualmente mortas. O pior é que na maioria das vezes nem percebem que estão nessa situação. Talvez, nós mesmos já tenhamos vivido essa experiência ruim.
Mas havia uma luz no fim do túnel para Asafe. Sua confusão mental perdurou somente até o momento em que entrou no santuário do Senhor (V 17). Foi nesse instante que ele entendeu qual seria o fim dos ímpios. E qual seria?
Nos versículos 18,19, 20 e 27 ele nos revela: “Certamente tu os pões em lugares escorregadios e os fazes cair em ruína. Como são destruídos de repente, completamente tomados de pavor! São como um sonho que se vai quando acordamos; assim, ó Senhor, quando te levantares, tu os farás desaparecer. Os que te abandonam sem dúvida perecerão; tu destróis todos os infiéis”.
Asafe compreendeu que apesar de toda aquela aparência de sucesso e de felicidade, apesar de toda a arrogância, os ímpios nada eram, porque seriam destruídos.
Também agora passa a entender que durante aquele período em que seu espírito estava tão perturbado Deus sempre estivera com ele e o sustentara pela mão (v 23). E não é diferente conosco. Nos momentos mais terríveis de conflitos interiores, de confusão mental, de dúvidas o Senhor está nos segurando pelas mãos. Mesmo que não sintamos, vejamos ou percebamos, ali está o Pai que conhece a nossa estrutura e lembra-se de que somos pó (Salmo 103: 13,14). Aleluia! Como é bom e reconfortante saber disso!
A partir de agora, Asafe começa a entender qual era o resultado de sua fidelidade a Deus. Veja comigo os versículos 23 e 24: “Contudo, sempre estou contigo; tomas a minha mão direita e me susténs. Tu me diriges com o teu conselho e depois me receberás com honras/ou tu me receberás em glória”.
Reconhece também a grandeza e o cuidado de Deus para com ele e faz uma declaração maravilhosa a Ele: “A quem tenho eu no céu senão a ti? E na terra não há quem eu deseje além de ti. A minha carne e o meu coração podem fraquejar, mas Deus é a fortaleza do meu coração e a minha porção para sempre” (v 25,26).
Ainda em tom de reconhecimento da sua necessidade de Deus, ele declara: “Mas para mim bom é aproximar-me de Deus; fiz do Soberano o meu refúgio/ ou pus a minha confiança no Senhor Deus, para anunciar todas as suas obras” (v28).
Nesse ponto, entendemos que os olhos de Asafe foram desvendados, os ouvidos destampados e a mente aberta e pôde compreender a maravilhosa graça de Deus em sua vida.
Que descoberta magnífica ele fez! Tenho por certo que esse foi o motivo pelo qual inicia o salmo dizendo: “Verdadeiramente bom é Deus para com Israel, para com os limpos de coração”. Agora tinha convicção de que valia a pena servir ao Senhor de todo o seu coração, sendo íntegro em todos os seus caminhos.
Nesse ponto, penso ser muito importante fazer algumas considerações, cujo objetivo é fazê-lo refletir um pouco mais sobre sua condição e, se preciso for, mudar sua visão a respeito de si mesmo, de Deus e da prosperidade daqueles que não têm compromisso com o Senhor. Vamos lá?
A primeira é que:
• Se olhar para Abraão do ponto de vista humano, verá que sofreria grandes perdas as sair do lugar onde estava, uma vez que tinha estabilidade familiar e financeira (Gênesis 12).
• Se olhar para José sob a ótica humana, suporá que não valeu a pena ser fiel a Deus, pois foi vendido como escravo por seus próprios irmãos, acusado injustamente de assediar a esposa de seu patrão e, como consequência, lançado no cárcere (Gênesis 37, 40, 41).
• Se olhar para Moisés da mesma maneira, acreditará que não valeu pena ter sido escondido pela mãe, uma vez que morreria afogado no rio (Êxodo 2).
• Da mesma forma, pensaria sobre Davi, que foi tão perseguido por seu sogro, o rei Saul (I Samuel 18, 19, 22, 23, 24…).
• Podemos pensar do mesmo modo sobre Jesus, que morreu da pior forma possível e de tantos servos de Deus que perderam sua vida por pregar o Evangelho.
A segunda é que:
• Se olhar para Abraão com os olhos de Deus, verá que ele se tornou o “pai da fé” (Gálatas 3: 7 ao 9), “o amigo de Deus” (Isaías 41:8) e tornou-se o grande patriarca do povo de Israel.
• Moisés tornou-se o grande libertador do povo de Israel da escravidão do Egito, falou face a face com Deus e, além disso, no Velho Testamento ele tipifica Cristo e aponta para o ministério do Messias, que seria libertar o povo da escravidão do pecado, imposta pelo adversário das nossas almas, e conduzi-lo até a Canaã Celestial, ou seja, o Céu (Êxodo 11,12, 13, 14,15…).
• Davi tornou-se o maior rei que o povo de Israel teve em toda a sua História, o maior adorador e o único ser humano sobre quem Deus declarou: “Encontrei Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração, que executará tudo o que for da minha vontade” (Atos 13:22).
• Quanto a Cristo, nosso maior e mais importante exemplo, não foi diferente. Ele foi parar na cruz; entretanto, como resultado disso, você, eu e toda a humanidade fomos resgatados das garras do pecado e do maligno, reconciliados com Deus e justificados por meio desse preço impagável: o sangue de Jesus! (Romanos 5:9,10; II Coríntios 5:18,19; Colossenses 1:20 ao 23; I Pedro 1:18 ao 21)
• Quanto aos servos de Deus que levaram a fé nele até as últimas consequências, Jesus declara: “Venham, benditos de meu Pai! Recebam como herança o Reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo” (Mateus 25:34; ler também Marcos 10:17 ao 30).
Para encerrar, então, gostaria de dizer a você que, em algum momento ou fase da nossa vida, todos nós já passamos ou passaremos pela mesma dificuldade que Asafe passou, a ponto de duvidar que vale a pena servir a Deus. Quem sabe, você está vivendo essa crise justamente agora. Por isso, quero dizer-lhe que não precisa se sentir a pior pessoa do mundo; não precisa jogar tudo para o alto; não precisa blasfemar contra Deus ou ficar deprimido. Apenas precisa fazer como esse homem fez, mesmo diante do caos mental que estava vivendo.
E o que ele fez mesmo? Veja com as palavras dele mesmo: “… até que entrei no santuário de Deus…” (Salmo 73:17). Ou seja: quando entrou na presença de Deus, Asafe passou a entender todas as coisas.
Faça o mesmo, meu querido. Entre na presença de Deus na igreja ou mesmo aí onde você está agora. Faça isso e ouvirá esse Pai Maravilhoso dizer a você: “Porque eu bem sei os planos que tenho para vocês, diz o Senhor. Planos de fazê-los prosperar e não de causar-lhes dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro. Então vocês clamarão a mim, orarão a mim, e eu os ouvirei. Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração. E serei achado por vocês, diz o Senhor…” (Jeremias 29:11 ao 14; leia também o Salmo 1º; Isaías 64:4; Hebreus 11:6).
A minha oração por mim mesmo e por você é mesma que o profeta Eliseu fez por Geazi, seu secretário: “Senhor, peço-te que abras os olhos dele, para que veja”. E tenho certeza absoluta de que acontecerá igual ao que ocorreu com Geazi depois dessa oração: “Então o Senhor abriu os olhos do moço e ele viu que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo ao redor de Eliseu” (II Reis 6:17). Em outras palavras: aquele homem pode ver o invisível porque teve seus olhos abertos. E não faria o Senhor o mesmo com você e comigo?
Portanto, abra os olhos e os ouvidos do seu coração e ouça o Senhor falando com você através da Sua Palavra:
• “Creiam no Senhor seu Deus e estarão seguros; creiam nos seus profetas e prosperarão” (IICr 20:20).
• “Pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho de seu ventre? Mas ainda que ela se esquecesse, eu, todavia, não me esquecerei de ti” (Is 49:15).
• Deus dá forças ao cansado: Isaías 40:28 ao 31.
• “Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com os ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu Deus além de ti, que trabalha para aquele que nele espera” (Isaías 64:4).
• No dia da adversidade, Deus nos esconde no seu pavilhão e nos protege: Salmo 27:1-5,10,14.
• O justo é ouvido e libertado de suas aflições: Salmo 34:15,17,18,19.
• “Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi um justo desamparado nem a sua descendência mendigar o pão” (Salmo 27:25).
• Deus conhece a nossa estrutura e lembra-se de que somos pó: Salmo 103:13,14).
• Pedir, bater e buscar com a garantia de Jesus que seremos atendidos: Mateus 7:7-11.
• “…eis que estou convosco até a consumação dos séculos: Mateus 28:20.
• “Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós – disse Jesus” (João 14:18).
• “Tenho vos dito isso para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, pois eu venci o mundo – disse Jesus” (João 16:33).
• “Seja fiel até a morte e lhe darei a coroa da vida” (Apocalipse 2:10).
• “E Deus limpará dos seus olhos toda lágrima…” (Apocalipse 21:4).
• Tudo isso porque “A Escritura diz: Todo aquele que crer nele não será confundido” (Romanos 10:11).
Por tudo isso, “Aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim recebermos misericórdia e encontrarmos graça {favor de Deus} que nos ajude no momento da necessidade” (Hebreus 4:16).

Anúncios
 

Tags: , ,

4 Respostas para “VALE A PENA SERVIR A DEUS?

  1. Matheus

    22/07/2016 at 22:58

    Parabéns pelo trabalho, que Deus venha os abençoar!!!💜

     
  2. ELEN S. DE PAULA

    22/03/2013 at 12:10

    ESTOU EXTREMAMENTE CONTAGIADA POR MAIS ESTE APRENDIZADO, QUE DEUS VOS ABENÇOE RICAMENTE E TE USE CADA VEZ MAIS, EM NOME DE JESUS; AMÁM.

     
  3. gilberto moura

    17/11/2012 at 15:51

    Glória a Deus, por suas vidas… realmente uma palavra sábia em um momento de angústia.

     
    • Marcos e Márcia Araújo

      18/11/2012 at 10:46

      Obrigada, Gilberto. Esse sempre foi nosso objetivo. Deus o abençoe.

       

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: