RSS

Arquivo da tag: família bênção de Deus

Paz em meio à tempestade

“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus.” (Filipenses 4:7)

paz tempestade

Uma das coisas que mais afligem e causam danos às pessoas é o medo.  Dentre os diversos tipos que existem, certamente o que é provocado pela incerteza de qual e como será o futuro é um dos que mais atormentam um indivíduo.

No entanto, infelizmente, não é apenas ele. Há muitos outros causadores de estragos como, por exemplo: fobia social (medo de conviver em sociedade), claustrofobia, síndrome do pânico, a qual é o estágio mais avançado do medo etc., etc., etc…

Provavelmente seja por essa razão que encontramos tantas vezes nas Escrituras Sagradas a expressão “não temas” e muitas outras com sentido equivalente.

Por ser um mal tão presente em nossos dias, quero compartilhar com você uma palavra dita aos discípulos por Jesus, o Príncipe da paz, a fim de colhermos as pérolas reservadas a nós pelo Senhor. Ela está registrada em João 14:1, onde lemos: “Não se perturbe o coração de vocês. Creiam em Deus; creiam também em mim”.

Mas… por que Cristo disse essa palavra?

O Senhor sentiu a necessidade de proferi-la porque ia falar a eles que seria preso, crucificado, morto, ressuscitaria e depois voltaria para o céu. Ele sabia que isso iria deixá-los confusos, inseguros e profundamente temerosos em relação ao que lhes aconteceria, pois estavam acostumados com a presença de seu Mestre e com a proteção, o conforto e a segurança que ele lhes propiciava.

Dizendo isso, eles ficariam sem rumo, sem chão. Porém o Senhor se antecipou e lhes trouxe logo esse conforto de que tanto careciam.

Primeiro ele disse: “Não se perturbe o coração de vocês…”. Ou seja: vocês não precisam ficar preocupados, aflitos, confusos, intranquilos, desnorteados, desassossegados, alterados. Em suma: em situação de caos interior.

Muitas vezes, também nos falam algo semelhante ou até o mesmo quando estamos imersos numa adversidade e temerosos em relação ao amanhã. Entretanto não podem ir muito além dessas palavras. Pouco ou nada podem fazer por nós. Logo tais declarações são apenas paliativas. Não são um remédio eficaz contra nossas feridas e preocupações.

Não é fácil não ficar com o coração turbado. Mesmo para cristãos fiéis não é, especialmente em situações que nos fazem sentir como se de repente o chão fosse tirado de sob nossos pés, como temos vivido agora por causa do Covid-19 e de suas respectivas consequências.

Pense, por exemplo, em uma pessoa totalmente saudável a qual repentinamente recebe o diagnóstico médico de que está com o Coronavírus ou um câncer devastador. É fácil?

Pense num pai de família que está bem empregado e vai feliz para o trabalho. Mas naquele dia fatídico é informado de que não faz mais parte do quadro de funcionários da empresa, isto é, está demitido. É fácil?

Pense naquele indivíduo que é perfeito física e intelectualmente falando e sofre um acidente, o qual o faz ficar deficiente, talvez paraplégico ou mesmo tetraplégico. É fácil?

Pense num cônjuge, cujo casamento, segundo o seu parecer, é sólido, perfeito, feliz, confiável e, em dado momento, descobre que está sendo covardemente traído e tremendamente humilhado publicamente pela pessoa a quem ama e que dizia amá-lo também. Pense que ela descobriu da pior forma que havia construído seu castelo sobre a areia. É fácil?

Mil vezes, não! É revoltante! É desesperador! É mais do que o suficiente para cair numa depressão profunda ou para jogar tudo para o alto! Para amaldiçoar seu Deus e morrer (mesmo que seja espiritualmente), como disse a mulher de Jó quando ele havia, aparentemente, perdido tudo, inclusive o amor do Senhor (Jó 3:9,10).

No entanto, é justamente para esses que Jesus está dizendo: “Não se perturbe o coração de vocês…”.

Não é fácil não ficar perturbado. É necessário exercitar a cada dia a fé, a confiança, a persistência e uma viva esperança em Deus. E diariamente matar não um, mas Read the rest of this entry »

 

Tags: , , , , , , ,

Sábia decisão

eu-minha-casa-servir-senhor

    Ao longo da vida, tomamos muitas decisões que consideramos importantes; outras, nem tanto e uma parte delas, bem equivocadas, das quais, mais tarde, nos arrependemos profundamente.

Basicamente tudo na vida, ou quase tudo, é uma questão de escolha pessoal ou de decisão. Por exemplo: se hoje estamos vestidos com determinada roupa é porque a escolhemos. Caso contrário, estaríamos com outra. Até quem não decide, na verdade, já decidiu não escolher, mesmo que isso não lhe seja de fato consciente.

Mais uma observação a fazer é que dentre as decisões importantes há sempre as que são mais relevantes, urgentes e necessárias que outras. Justamente por esse motivo, precisamos estar atentos, pois uma decisão errada normalmente leva a uma escolha também equivocada, cujas consequências em geral são bem desagradáveis ou mesmo desastrosas.

Por outro lado, sempre que procedemos de modo sábio, os resultados serão satisfatórios e sobremodo prazerosos. Falando nisso, retomemos o texto bíblico presente na imagem posta acima, o qual nos é muito revelador e inspirador também. Contudo, para entendê-lo melhor, vejamos antes o contexto em que ele é proferido.

Para começar, precisamos lembrar que quem disse “eu e minha casa serviremos ao Senhor” foi Josué. Ele teve a árdua missão de substituir Moisés. E, com a ajuda de Deus, cumpriu seu ministério com excelência, levando o povo à terra prometida, dando-lhe ainda repouso de seus inimigos. Todavia, agora já estava velho (Josué 23:1) e, em breve, partiria para estar com o Senhor.

Por essa razão, como vemos no capítulo 24, ele procurou trazer à memória dos israelitas tudo o que o Senhor havia feito por eles. No versículo 14, vemo-lo dizer aos seus irmãos: “Agora temam o Senhor e sirvam-no com integridade e fidelidade (ou verdade). Joguem fora os deuses que os seus antepassados adoraram além do Eufrates e no Egito, e sirvam ao Senhor”.

Josué sabia que o ser humano tem uma forte tendência de se esquecer das coisas, por mais importantes que elas tenham sido. Afinal, presenciara toda a rebeldia e murmuração de seu povo desde que saíra do Egito, o que irritou tanto o Senhor que os fez ficar peregrinando por quarenta anos no deserto. Como consequência, daqueles adultos que saíram da escravidão egípcia, somente ele e Calebe, juntamente com suas respectivas famílias, entraram em Canaã.

Por todos as coisas presenciadas por Josué, esse conselho é muito pertinente. Mas não apenas por isso. Também porque vira muitos de seu povo se contaminarem com a idolatria praticada pelos povos que os rodeavam. O que se fez, então, mais necessário ainda dizer que deviam servir a Deus com integridade e fidelidade, uma vez que o Altíssimo não aceitava servi-lo de qualquer modo. Afinal, ele cumprira à risca suas promessas.

No entanto, sua advertência não para por aí. No versículo 15, Josué deixa claro que os israelitas tinham o direito de escolher se iriam servir ao Senhor com integridade e fidelidade ou não. Eles eram livres para escolher. Porém, quanto a ele e à sua família, a escolha já havia sido feita: eles serviriam ao Senhor dos Exércitos.

Depois de ter vivido tantas experiências com o Altíssimo, seria uma tremenda estupidez da parte dele ignorar as magníficas obras do Pai em sua vida, em sua família e na vida de todo o povo. Desse modo, estava convicto do que faria, até que o Senhor os levasse para si.

Quando olho para esse texto, até me emociono, pois ele nos traz uma lição de valor incalculável. Hoje, por causa da força e do alcance da mídia, temos visto muitos exemplos de pais que tomam decisões tão estúpidas que até nos revoltam e, logicamente, nos entristecem sobremaneira.

Existem aqueles que têm tomado a decisão de viverem no mundo das drogas. Entretanto, muitos não se contentam em destruir apenas sua vida. Ao contrário, levam sua família para o abismo junto com eles. Inclusive já vi notícias de pais que drogam filhos ainda bebês. Que triste e revoltante!

Há outros que se tornam corruptos e levam seus familiares junto. A televisão já mostrou diversos casos de políticos e empresários que agem assim. Não têm escrúpulos, ou seja, nojo, repugnância ou arrependimento do que fazem. Além de caminharem para o abismo, também destroem o caráter de seus filhos e os levam junto para o buraco. Por isso, é bem comum ver jovens se tornando piores do que seus pais.

Mas não para por aí. Existem aqueles que adentram a toda sorte de caminhos sombrios e perigosos e arrastam seus filhos para lá, sem o menor constrangimento ou peso na consciência. Por certo, esse também é um dos motivos do caos moral e social em que vive a sociedade dos nossos tempos.

Por outro lado, graças a Deus, há uma boa quantidade de pais que têm levado seus filhos para o caminho da integridade e da fidelidade ao Senhor, como as Sagradas Escrituras ensinam: “Pais, não irritem seus filhos; antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor” – Efésios 6:4. Dessa forma, contribuem grandemente para a construção de um mundo melhor. Para estes, certamente existe galardão, isto é, recompensa divina.

Quem sabe, neste ponto você esteja pensando: “Não tenho filhos” ou “minha família não quer nem saber de Deus”. Entendo perfeitamente seu pensamento. Porém, VOCÊ pode decidir fazer como Josué, ou melhor, servir ao Senhor com fidelidade e integridade. Afinal, cada um vai responder pelos próprios atos diante de Deus (Ezequiel 18:4e 20 ao 24).

Contudo, cada um de nós também pode, e deve orar pelas pessoas que ama, a fim de que sintam a necessidade de se voltarem para o Senhor, pois ele não quer que ninguém se perca, mas que todos venham ao conhecimento da verdade (II Pedro 3:9; João 14:6).

Vale mencionar ainda que “pau que nasce torto não precisa morrer torto”, porque o Carpinteiro Jesus de Nazaré é especialista em consertar pessoas que são consideradas casos perdidos ou a escória da sociedade. E podemos ter um papel importante nesse processo, pedindo a intervenção do Senhor.

Assim, retomo as palavras de Josué: “Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor”. Ele estava convicto de que havia um grande e avultado galardão para quem escolhesse servir ao Senhor (Hebreus 10:35 ao 39). Esse homem e sua família foram sábios fazendo isso.

Sem dúvida, a mulher dele era uma pessoa sábia e juntos eles não abriram mão de seus filhos. Seja sábio também. Mesmo vivendo no meio de pessoas não valorizam essa instituição divina chamada família, VOCÊ tem condições de ser diferente e de fazer a diferença.

Ouça: A minha família é bênção do Senhor – Regis Danese

Família  – Aline Barros

 

Tags: , , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: