Anúncios
RSS

Arquivo da tag: Marta e Maria

Amigos de Jesus

“… mas há um amigo mais chegado do que um irmão.” (Provérbios 18:24)

amigos-696x397

Segundo a Psicologia, amizade é um dos vínculos mais significativos e importantes que estabelecemos. Isso porque estar com amigos é uma forma privilegiada de socializar, e a socialização, tal como o psicólogo bielo-russo Vygotsky afirma, “é a base do desenvolvimento humano”. Sem a socialização, não desenvolveríamos processos cognitivos superiores (cognitivo: relativo à aprendizagem) nem nos apropriaríamos devidamente da cultura.

Não ter amigos pode ser tão perigoso para a saúde como fumar ou consumir álcool em excesso, diz um estudo de cientistas americanos na revista Plos Medicine. Os especialistas afirmam que viver isolado é prejudicial à saúde. Fato que é potencializado quando vivemos em tempos de relações superficiais, descartáveis e imediatistas baseadas em redes sociais.

Ainda nessa linha de pensamento, o estudo mostra que no processo psicoterapêutico, a amizade pode ser compreendida como fator de proteção. É a rede de afeto no enfrentamento dos dissabores da vida. É a força que sustenta ao cair, ou mesmo a mão estendida ao levantar.

Quando nós nos voltamos para as Escrituras Sagradas, vemos que o que a Ciência diz não é nenhuma novidade. No entanto, é muito bom saber que Ciência e Fé se encontram e andam de mãos dadas com um único propósito: abençoar nossa vida. Basta se lembrar, por exemplo, da amizade de Davi e Jônatas (filho do rei Saul) e o quanto ela foi benéfica para os dois, para Mefibosete (filho de Jônatas) e, finalmente, para todo o povo de Israel.

Entretanto, o foco desse artigo não é a história deles e, sim, a da família de Lázaro. Portanto, para começo de conversa, é bom recordar que a Bíblia registra três episódios envolvendo Marta, Maria e Lázaro. O primeiro deles está em Lucas 10:38 ao 42. O segundo, em João 11. O último, em João 12.

Antes de dar sequência, quero lhe fazer a seguinte pergunta: Por que, por três vezes, Jesus foi à casa deles? Antes que você responda, quero fazer uma provocação, colocando outro questionamento: Por que você iria à casa de alguém e voltaria lá outras vezes?

Quase ouço sua voz dizendo: “Volto lá porque me sinto bem recebido. As pessoas são agradáveis. A conversa é boa. Sinto paz naquele ambiente. Percebo que as pessoas realmente gostam de mim”. Além dessas possíveis respostas, outras semelhantes a elas poderiam ser dadas. Então, agora podemos mergulhar um pouco na história desses irmãos e de Jesus.

Como já vimos, o primeiro momento dessa família com Jesus está registrado em Lucas 10:38 ao 42. Nele, lemos que Jesus fora recebido naquela casa por Marta. Enquanto ela estava distraída com os serviços domésticos, Maria sentou-se aos pés do Mestre para ouvir seus ensinamentos. Muito provavelmente, Lázaro, como o homem da casa, já estava fazendo sala para tão importante visita.

Em dado momento, Marta disse: “Senhor, não te preocupas que minha irmã me deixe servir sozinha? Diga a ela que me ajude” – V 40. Essa fala foi a oportunidade que Jesus precisava para ensinar uma grande lição. Assim, aproveitando-a, falou-lhe: “Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada” – Lucas 10: 41 e 42.

Talvez você seja tentado a jogar algumas pedrinhas em Marta, não é mesmo? Mas quero dizer-lhe uma coisinha: Read the rest of this entry »

Anúncios
 

Tags: , , ,

Escolhendo a boa parte

marta e maria

“Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.”  (Lucas 10:42)

Basicamente a vida é feita de escolhas, que podem ser individuais ou coletivas. Além dessas, há também ocasiões nas quais elas envolvem apenas um casal.

Independentemente de quem envolvem, de modo geral, elas nos levam ao sucesso em algum empreendimento ou ao fracasso, trazendo como resultado alegria ou tristeza, sentimento de realização ou a frustração.

É logico que existem ocasiões ou situações nas quais nos sentimos convictos e seguros para fazermos determinada opção. Contudo, o tempo mostra que ela não foi boa ou tão boa quanto esperávamos ser.

Por outro lado, há outras que nos deixam com a pulga atrás da orelha, mas que, com o tempo, se revelará excelente. Isso pode acontecer com uma profissão, por exemplo.

Dentre as escolhas que alguém pode fazer, uma é importante e necessária, pois influenciará todas as áreas da nossa vida. Ao dizer isso, refiro-me à necessidade de querer andar com Deus e a aprender dele.

Para entendermos melhor, tomarei como base e referência o exemplo de Marta e Maria, as quais eram irmãs de Lázaro. Entretanto, já vou adiantar para você que não vou crucificar Marta. Ao contrário, desejo aprender com as duas e sobretudo com o Mestre Jesus.

A história sobre elas está registrada em Lucas 10:38 ao 42. Antes, porém, se faz necessário dizer que essa família era amiga de Jesus. Por isso, a Bíblia se refere aos membros dela em três episódios com o Senhor: um, o que já foi mencionado e os outros estão em João, capítulos 11 e 12.

Sabendo disso, fica mais fácil compreender por que o Senhor estava na casa delas e, em consequência, aprender preciosas lições com essa intrigante e estimulante história.

Também nos ajuda a entender melhor relembrarmos que as duas irmãs tiveram posturas bem distintas nessa ocasião: Maria assentou-se aos pés de Jesus e Marta envolveu-se com os serviços domésticos.

Vale dizer ainda que, por certo, o Mestre não estava sozinho. Considerando que ele sempre andava com seus doze discípulos e que já havia três pessoas na casa, reuniam-se ali dezesseis pessoas no momento. Talvez, até mais.

Quem sabe os visitantes vinham de longe. Por esse motivo, certamente estavam sedentos e famintos. Sendo assim, precisavam beber água e ser alimentados. Afinal, toda dona de casa hospitaleira quer receber bem suas visitas. Com elas não era diferente, eu penso.

No entanto, fazer isso não era uma tarefa simples, como pode parecer a princípio. Elas não dispunham de meios práticos, como temos hoje, para comprar comida pronta. Por isso, precisavam fazer tudo em casa, o que demandava tempo e esforço. E alimentar dezesseis pessoas ou mais não era nada fácil. As donas de casa sabem muito bem disso.

Além disso, a água precisava ser tirada do poço, o que nem sempre era uma tarefa simples. E mais: às vezes o poço era muito fundo e ficava distante de casa.

Quando olhamos para o versículo 38, vemos que quem recebeu o Senhor foi Marta. Logo, entendemos que ela era uma pessoa hospitaleira. Algo que nós, como cristãos, também precisamos ser. Especialmente quando se trata de Jesus.

Já no 39, lemos o seguinte: “E tinha Marta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra”. Olha que interessante: Read the rest of this entry »

 

Tags: , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: