Anúncios
RSS

Crédito com Deus

18 fev

linha-de-credito

É bom ter crédito na praça?

Logicamente essa pergunta parece absurda. Afinal, todos nós queremos e precisamos ter crédito para podermos fazer as transações comerciais necessárias. Mas não apenas na área financeira. Em todas as coisas e situações isso é importante e se faz necessário.

Apesar disso, segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) cerca de 56% das famílias brasileiras estão endividadas.  Como consequência, muitos não podem comprar a prazo.

Se gozar da confiança de uma empresa ou de alguém já é algo maravilhoso, imagine ter crédito com Deus?  Não há dúvida de que é fantástico.   E as Sagradas Escrituras estão cheias de exemplos de pessoas que desfrutavam da confiança do Senhor, mas também de outras tantas que não tinham a aprovação dele. Infelizmente.

Quando olhamos para a história dos reis de Israel e de Judá, vemos muitas vezes a seguinte expressão a respeito deles: “E fez o que parecia mal aos olhos do Senhor”, como está escrito em II Reis 17:2 sobre Oséias ou como está registrado sobre Acaz: “… e não fez o que era reto aos olhos do Senhor Deus, como Davi, seu pai” – II Reis 16:2. Por essa razão, esses homens não tinham crédito com o Senhor e deixaram de desfrutar das bênçãos do Pai.

Por outro lado, também encontramos o seguinte sobre alguns reis: “E fez o que era reto aos olhos do Senhor, conforme tudo o que fizera Davi, seu pai” – II Reis 18:3. Esse foi o caso de Ezequias, filho de Acaz, rei de Judá, sobre o qual meditaremos um pouco.

E não para por aí. Veja os versículos 5, 6 e 7a: “No Senhor Deus de Israel confiou, de maneira que depois dele não houve quem lhe fosse semelhante entre todos os reis de Judá, nem entre os que foram antes dele, porque se chegou ao Senhor, não se apartou dele, e guardou os mandamentos que o Senhor tinha dado a Moisés. Assim foi o Senhor com ele; para onde quer que saía se conduzia com prudência…”

Que declaração maravilhosa! Porém, mais fantástico ainda foi o que aconteceu com esse homem de Deus, como resultado da sua obediência ao Senhor: recebeu o favor de Deus tanto no exercício do seu governo quanto na vida pessoal.

Em se tratando de seu serviço como governante, quando Senaqueribe, rei da Assíria, invadiu todas as cidades fortes de Judá, apossou-se delas e começou a fazer uma grande pressão psicológica sobre Ezequias e seu povo, o rei pegou as cartas e as estendeu diante do Senhor e orou apresentando as ameaças que seu adversário havia feito, pedindo livramento para todos os servos do Senhor.

Por causa de sua fidelidade, veja a resposta que o Senhor enviou a ele através do profeta Isaías: “Assim diz o Senhor Deus de Israel: O que me pediste acerca de Senaqueribe, rei da Assíria, ouvi” – II Reis 19:20. A seguir, o Altíssimo enviou um grande livramento ao seu povo.

Em outro momento, Ezequias adoeceu e o Senhor mais uma vez falou com ele através de Isaías: “Assim diz o SENHOR: Põe em ordem a tua casa, porque morrerás, e não viverás” – II Reis 20:1.

Que notícia terrível, não é? Contudo, lembre-se de que ele havia feito o que era reto aos olhos do Senhor. O rei não fizera o que parecia reto aos seus próprios olhos, e isso lhe garantiu um enorme crédito com Deus ao longo de toda sua vida.

Ao ouvir tal sentença, ele não ficou espalhando a notícia para todo mundo, não colocou no Facebook nem no WhatsApp com carinha de tristeza ou de preocupação, nem na rede de fofocas de Judá, já que não havia rede social naquela época, nem pediu que o arauto espalhasse a notícia por todo o reino.

Ao contrário, ele virou seu rosto para a parede fez a seguinte oração: “Lembra-te agora, ó Senhor, te peço, de como tenho andado diante de ti com fidelidade e integridade de coração, e tenho feito o que era reto aos teus olhos. E Ezequias chorou muitíssimo” – II Reis 20:3.

Que oração magnífica! Ele tinha plena convicção de que tinha feito a coisa certa e, por esse motivo, possuía crédito com o Senhor. E de fato era assim.

Veja o que aconteceu a seguir: “Sucedeu, pois, que, não havendo Isaías ainda saído do meio do pátio, veio a ele a palavra do Senhor dizendo: “Volta, e diz a Ezequias, capitão do meu povo: Assim diz o Senhor, o Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas; eis que eu te sararei; ao terceiro dia subirás à casa do Senhor. E acrescentarei aos teus dias quinze anos, e das mãos do rei da Assíria te livrarei, a ti e a esta cidade; e ampararei esta cidade por amor de mim, e por amor de Davi, meu servo” – II Reis 20:4-6.

Deus atendeu ao seu clamor. Ele realmente conhecia o coração desse homem e sabia que Ezequias era digno de receber mais uma porção da sua maravilhosa graça. Agora, o rei teria mais quinze anos para desfrutar do favor do Senhor.

Mas o mais importante de tudo é que Deus não muda, segundo lemos em Malaquias 3:6. Sendo assim, também podemos contar com ele quando passarmos pelos vales, desertos ou tempestades. E, em algum momento, vamos passar, pois nenhum de nós está livre de doenças, desemprego, problemas familiares ou conjugais, injustiças ou quaisquer outros. Lembre-se de que Jesus já nos advertiu sobre isso em João 16:33: “Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham bom ânimo! Eu venci o mundo“.

Também podemos ser vítimas do terror psicológico que o adversário das nossas almas vai querer implantar, inclusive dizendo como os inimigos de Davi: “Onde está o seu Deus?” – Salmo 42:3. Talvez você esteja passando por isso neste exato momento. No entanto, não é o seu fim. Não é o momento de ceder às pressões e jogar a toalha em sinal de rendição.

Se fez e faz o que é reto aos olhos do Senhor, você tem crédito com ele. Logo, pode seguir o exemplo de Ezequias, colocando as cartas com as afrontas recebidas ou com os problemas pelos quais está passando diante de Deus. Fazendo dessa forma, certamente também receberá o favor do Pai.

Caso sinta que não andou com retidão na presença dele e que não agiu com fidelidade aos seus mandamentos, dirija-se a ele com humildade pedindo o seu perdão e o seu favor, pois, como diz Provérbios 28:13: “O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia”.

E mais, Jesus fez a seguinte declaração: “… o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora” – João 6:37. Já em I João 1:9 está escrito: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça”.

Agindo desse modo, você também passará a ter crédito com Deus. Como consequência, passará a desfrutar ainda mais das suas bênçãos, inclusive da paz que excede todo entendimento, que somente o Senhor tem para dar – Filipenses 4:7, e certamente lhe dará.

Caso você queira conhecer um pouco mais da história do rei Ezequias e de suas experiências com Deus, leia II Reis, capítulos 18, 19 e 20 e verá como Deus derramou da sua graça sobre a vida dele e de seu povo.

Anúncios
 

Tags: , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: