Anúncios
RSS

Motivação – Parte 2

19 maio

Esta é mais uma parte do estudo sobre Motivação feito com os jovens da Igreja do Ev. Quadrangular no Jd. Fátima, em Nova Odessa. Se você não leu a primeira parte e deseja lê-la, clique AQUI.

inteligencia espiritual

Parte 2 – Capacitados por Deus

CAPACITADO POR DEUS

     Uma das “descobertas” mais fantásticas que fiz nessa área, e que revolucionou a minha vida, foi que podemos orar pedindo inteligência e que Deus nos capacita não apenas para o exercício daquilo que, muitas vezes, classificamos como ministério espiritual ou atividades espirituais mas também para nossas atividades cotidianas, sejam elas profissionais ou não. (Embora, como já mencionado acima, para o cristão não há divisão entre o espiritual e o secular/material, pois somos um ser espiritual.)  

Eu disse descobertas entre aspas porque li os textos sobre os quais discorrerei a seguir inúmeras vezes, porém me parece que em dado momento as verdades contidas neles “saltaram” das Escrituras para dentro de mim. E, justamente por isso, quero compartilhar com você algumas delas, pois tal tema é profundíssimo e jamais uma pessoa poderia explorá-lo em sua plenitude. Então, vamos passear pela Bíblia comigo e procurar essas pérolas de valor incalculável?

A primeira grande verdade é que podemos orar ao Senhor pedindo inteligência.

Será que de fato existe base bíblica para isso? Sim. E quem fez isso foram pessoas que tinham uma profunda intimidade com Deus e grandes experiências de vida, as quais servem de parâmetro para todos nós. Isso porque o mesmo que o Pai fez por eles também o fará por todos aqueles que crerem e buscarem Nele essa dádiva.

Primeiramente, gostaria de falar a respeito de Davi. No Salmo 119, vemo-lo dizer: “As tuas mãos me fizeram e me afeiçoaram; dá-me inteligência para que aprenda os teus mandamentos (73.). Sou teu servo: dá-me inteligência para entender teus testemunhos (125).  A justiça dos teus testemunhos é eterna; dá-me inteligência, e viverei (144). 

Observou o motivo pelo qual quis começar com esse servo do Altíssimo? Veja: Ele poderia ter orado pedindo riquezas, glórias, honras, belas mulheres, reconhecimento das pessoas, capacidade para vencer os inimigos, estratégias de guerra, etc., etc., etc. Contudo ele, repetidas vezes, pediu inteligência (ou, como em outras versões, entendimento, discernimento), a fim de que pudesse entender a palavra de Deus.

Portanto, a primeira conclusão a que podemos e devemos chegar é que, antes de qualquer coisa, precisamos receber essa capacitação para compreender os mandamentos e os testemunhos do Senhor.

Por certo ele, o salmista, orou assim por saber que “o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não podem entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus” (I Coríntios 2:14,10). Logo, se você quer compreender  e experimentar qual é a “boa, agradável, perfeita vontade de Deus” (Romanos 12:2), deve dirigir-se ao Senhor dessa maneira também, isto é, pedindo-lhe inteligência espiritual – a que é gerada e desenvolvida em nós pelo Espírito Santo.

Falando em  Inteligência espiritual, veja o que diz o apóstolo Paulo em Colossenses 1:9 e 10: “Por esta razão, nós também, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós, e de pedir que sejais cheios do conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e inteligência espiritual; para que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda a boa obra, e crescendo no conhecimento de Deus”. E no capítulo 2:2 e 3 ele declara: “Para que seus corações sejam consolados, e estejam unidos em caridade, e enriquecidos da plenitude da inteligência, para o conhecimento do mistério de Deus – Cristo, em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência”.

Aleluia! Viu que revelação maravilhosa? Paulo pede ao Senhor inteligência espiritual para os cristãos de Colossos. E vai além: ele roga “plenitude de inteligência”. Ou seja: a totalidade, a completa posse.

Meus queridos, se o apóstolo orou dessa forma por aquela igreja, entendo que, da mesmíssima forma, podemos e até devemos orar por nós mesmos e também pelos outros – cônjuges, filhos, igreja, pastor, por Israel.

Eu disse pastor porque em Jeremias 3:15 está escrito: “E vos darei pastores segundo o meu coração, que vos apascentem com ciência (do latim ‘scientia’ – saber que se adquire por meio do estudo e da meditação; conhecimento seguro de qualquer assunto) e com inteligência”.   E tenho certeza que o Pai dará a todos nós, sem medida, essa capacitação.

Outros textos bíblicos que considero verdadeiros diamantes para qualquer pessoa que almeja ser abençoado nessa área estão em Provérbios. Veja essas joias:

  • “E se clamares por entendimento, e por inteligência alçares a tua voz; se como prata a buscares e como a tesouros escondidos a procurares, então entenderás o temor do Senhor, e acharás o conhecimento de Deus. Porque o Senhor dá a sabedoria: da sua boca vem o conhecimento e o entendimento. Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos: escudo é para os que caminham na sinceridade”. (2:3 ao 7).
  • Adquire a sabedoria, adquire a inteligência, e não te esqueças nem te apartes das palavras da minha boca. Não a desampares, e ela te guardará: ama-a e ela te conservará. A sabedoria é a cousa principal: adquire, pois, a sabedoria; sim, com tudo o que possuis adquire o conhecimento. Exalta-a, e ela te exaltará; a, abraçando-a tu, ela te honrará. Dará à tua cabeça um diadema de graça, e uma coroa de glória te entregará” (4:5 ao 9)

À primeira vista, parece que há uma contradição na fala de Salomão. Ela diz que Deus dá a sabedoria, mas depois declara que se deve clamar por entendimento, alçar a voz por inteligência, adquirir sabedoria e inteligência com tudo o que a pessoa possui. No entanto, não é, de fato, contraditório.

Entendo que ele está deixando claro que existe uma parte que deve ser feita por nós. Por isso, é nossa responsabilidade investir tempo em oração (clamar, alçar a voz), na busca do conhecimento/ciência e preparação, pois Deus jamais descerá do céu e se sentará na cadeira de uma escola em nosso lugar, com também não tirará um tempo em casa para estudar por nós enquanto dormimos, assistimos à televisão ou navegamos pela internet, pois, caso fizesse assim, criaria um bando de folgados e preguiçosos.

Entretanto, se entendermos a importância disso, e valorizarmos, e investirmos os recursos necessários em aquisição de conhecimento e em preparação, Ele fará a parte que não está ao nosso alcance, ou melhor, dar-nos-á o diferencial necessário para que venhamos nos sobressair em relação aos demais.

Portanto, é imprescindível refletir sobre essas verdades da Palavra de Deus e solicitar a ajuda do Espírito Santo, o qual nos guia em toda a verdade, e creio que também a toda a verdade, que nos dê condições de entender quem realmente somos hoje e quem podemos ser a partir de hoje, se aplicarmos o nosso coração e mente na busca da excelência, a fim de que possamos dar o melhor de nós para a glória do Senhor, tanto nas coisas ditas “seculares” quanto naquelas as quais costumamos classificar de “espirituais”. Que a nossa oração seja como a de Davi: “Desvenda os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei” (Salmo 119:18). Ou seja: Tire a venda dos meus olhos, para que eu enxergue corretamente. Que assim seja conosco.

 

Anúncios
 

Tags: , , , , , , ,

Uma resposta para “Motivação – Parte 2

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: